De olho na Abertura da Bovespa

02 de dezembro de 2019 - 09h40
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

As bolsas europeias operam em alta e os futuros de Nova York também sobem após índices de gerentes de compras (PMIs) publicados nos últimos dias mostrarem recuperação da manufatura na China. Investidores também repercutem o PMI industrial da zona do euro (maior patamar em três meses), enquanto aguardam o dos EUA. E continuam atentos a novidades das negociações entre EUA e China, que tentam fechar um acordo comercial preliminar. O governo de Pequim espera que os EUA revertam algumas das tarifas impostas sobre seus produtos, como parte do entendimento que as duas maiores potências econômicas negociam. Hoje, um jornal oficial chinês reiterou o desejo de Pequim de que a gestão de Donald Trump atue de maneira "flexível" e "razoável". Na agenda americana, tem o índice dos gerentes de compra (PMI) industrial (final) de novembro, o índice ISM de atividade industrial também do mês passado, os investimentos em construção em outubro e o índice PMI Markit/JPMorgan industrial global de novembro.

O S&P 500 futuro tem alta de 0,20% e o Euro Stoxx sobe 0,14%. Também as bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada, à medida que dados animadores sobre a manufatura chinesa ajudaram a desviar a atenção dos investidores dos últimos entraves às negociações comerciais entre EUA e China. Além disso, os contratos futuros do petróleo avançam, à espera de uma reunião de grandes produtores nesta semana.

O Ibovespa deve acompanhar o bom humor internacional, apesar da declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre retomar a imposição de tarifas a importações de aço e alumínio do Brasil e da Argentina. Segundo Trump, ambos os países vêm promovendo maciça desvalorização de suas moedas, o que não é bom para produtores agrícolas americanos. O dólar, em relação ao real, teve o segundo pior desempenho global em novembro e deve continuar na mira dos investidores brasileiros à medida que se aproxima o Comitê de Política Monetária (Copom) de dezembro. O avanço recente da moeda norte-americana tem elevado o debate sobre continuidade ou não do ciclo de queda da Selic. Antes do Copom, na sexta-feira, será informada a inflação de novembro do País, que deve acelerar consideravelmente na margem, mas ainda manter-se sob controle no acumulado em 12 meses. Na agenda da semana, tem o PIB do terceiro trimestre amanhã, a produção industrial de outubro na quarta-feira, os dados da Anfavea de produção de veículos na quinta-feira e o IPCA de novembro na sexta-feira.

Às 09h37, o Ibovespa futuro registrava alta de 0,32%

Segundo a nossa equipe de análise gráfica, sem alterações no final da sessão de sexta, mantém primeira resistência em 108.915, sendo este ponto a ser vencido para permitir novos movimentos de alta. O suporte importante se mantém na sua MME200 em 107.000.

Lembramos que o Ibovespa é um índice, ou seja, reflete apenas o comportamento misturado das ações líderes, de modo que as análises individuais devem ser observadas no módulo de Análise Gráfica.

Bom dia e bons negócios!

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.