De olho na Abertura da Bovespa

13 de agosto de 2019 - 09h44
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

Os índices futuros americanos operam perto da estabilidade e as bolsas europeias caem. Na Argentina, o banco central subiu os juros em mais de 10 pontos, para 74%, além de vender dólares e títulos públicos. As medidas derrubaram o dólar de 62 pesos para 52 pesos, ajudando a amenizar os ajustes no fim dos negócios. Ontem a bolsa de valores argentina despencou mais de 30%, após as eleições primárias indicarem vitória da oposição em outubro. Em Hong Kong, o aeroporto foi reaberto hoje depois de ter suas operações impedidas por um protesto. O território tem sido palco de manifestações há 10 fins de semana consecutivos. O que começou como um ato popular contra um projeto de lei que permitiria extradições para a China acabou se transformando no maior desafio da autoridade da China sobre o local, que é semi autônomo, desde que seu controle foi devolvido aos chineses em 1997. No Reino Unido, a taxa de desemprego atingiu 3,9% nos três meses até junho, subindo em relação ao nível de 3,8% observado no trimestre até maio, até então o menor desde 1974. Na agenda, tem o índice de preços ao consumidor dos EUA, a decisão de política monetária do México, o relatório sobre estoques de petróleo do API, além da produção industrial, das vendas no varejo e dos investimentos em ativos fixos de julho da China.

O S&P 500 futuro tem queda de 0,03% e o Euro Stoxx cai 0,52%. As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta terça-feira. Já os contratos futuros do petróleo rondavam perto da estabilidade.

O mercado local deve acompanhar a votação de projetos do pacto federativo, que podem ser discutidos antes da reforma da Previdência. Um dos pontos que eles abrangem é o repasse aos Estados de 15% dos recursos do mega leilão do petróleo, além de outros 15% aos municípios. A medida resultaria em R$ 10,9 bilhões para cada um desses entes federativos. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, disse que essa votação deve abrir caminho para que a reforma tenha mais votos favoráveis. Além disso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que tentará chegar a um texto consensual sobre a MP da liberdade econômica até esta tarde. Quanto à reforma tributária, Maia disse que é possível votar na Casa ainda neste ano, mas que ele não quer a volta de uma nova CPMF. Em dia de agenda interna fraca, as atenções podem se voltar para os protestos de hoje contra os cortes na Educação.

Às 9h42, o Ibovespa futuro registrava queda de 0,23%.

Segundo a nossa equipe de análise gráfica, sem alterações, o Ibovespa vai trabalhando junto a sua MME200. Onde conseguindo superá-la nos 102.400 poderia tentar voltar à região dos 104.700. Já mantendo-se abaixo da mesma teria suportes em 101.570 e 100.585.

Lembramos que o Ibovespa é um índice, ou seja, reflete apenas o comportamento misturado das ações líderes, de modo que as análises individuais devem ser observadas no módulo de Análise Gráfica.

Bom dia e bons negócios!

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.