Em movimento inteligente, SulAmérica vende carteira de capitalização e investe na Órama

14 de maio de 2019 - 16h48
Segmento: Empresas
Fonte: Lopes Filho

A SulAmérica informou que as suas controladas indiretas Sulacap (Sul América Capitalização) e Santa Cruz (Sul América Santa Cruz Participações) assinaram ontem contratos para vender a sua carteira de capitalização e a sua participação minoritária na CaixaCap (Caixa Capitalização), buscando descontinuar sua operação nesse segmento. A transação tem valor estimado em R$ 100 milhões e, como data-base, o dia 31 de dezembro de 2018.

A venda da participação na CaixaCap consiste na alienação total da participação da Santa Cruz, que corresponde atualmente a 24,5% do capital total e votante. A fatia será adquirida pelo Grupo Icatu, já acionista da empresa, com possibilidade de acréscimo de até R$ 83 milhões, adicionalmente aos R$ 100 milhões já acordados, conforme o desempenho da carteira.

Segundo fato relevante, a transação tem como objetivo concentrar a atuação da SulAmérica em segmentos em que possui maior potencial de crescimento e vantagens competitivas. A conclusão da operação está condicionada à aprovação prévia dos órgãos reguladores competentes.

Investimento na Órama

Logo em seguida à notícia sobre a descontinuidade no segmento de capitalização, a SulAmérica informou que assinou um contrato para realizar um investimento na corretora Órama no mesmo valor que conseguiu com a venda da participação na CaixaCap (R$ 100 milhões).

O investimento ocorrerá mediante capitalização pela sua controlada indireta SulAmérica Investimentos na O10, controladora da Órama. Após a conclusão da aquisição, a SulAmérica terá participação de 25% no capital social total e votante da O10.

Para o head de Renda Variável da Eleven Financial, Carlos Daltozo, o movimento foi inteligente. “Hoje, algumas gestoras e escritórios de agentes autônomos já lucram mais do que muitas companhias listadas na B3”, disse.

Ou seja, o objetivo que a SulAmérica mencionou ao vender a sua carteira de capitalização, de se concentrar em segmentos de maior potencial de crescimento, revela-se quando a companhia anunciou o investimento na Órama. “Na verdade, o que a SulAmérica fez foi uma troca. Capitalização está muito atrelada a bancos, visto a CaixaPar, e plataformas de investimento são o futuro. Por isso, para mim, o movimento foi inteligente”, afirmou.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.