Embraer registra prejuízo, mas a carteira backlog se recupera no 4T18

14 de março de 2019 - 10h00
Segmento: Empresas
Fonte: Lopes Filho

O prejuízo do 4T18 foi de R$ 78,1 milhões, contra lucro de R$ 132,0 milhões no 4T17. A receita, na mesma base de comparação, cresceu 13,2%, somando R$ 6,37 bilhões. O avanço decorre, sobretudo, por conta do efeito da variação cambial no período, cujo dólar médio registrou alta de 17,2%. O resultado operacional ficou negativo em R$ 78,9 milhões, ante o resultado positivo de R$ 204,8 milhões no 4T17. A queda refletiu o impacto negativo de R$ 238,2 milhões referente à baixa contábil no segmento de aviação executiva. A baixa está relacionada à aeronave Lineage 1000 e foi feita após revisão das expectativas de vendas deste modelo de aeronave. Em 2018, o resultado operacional ficou positivo em R$ 103,1 milhões, mas bem abaixo do resultado operacional de R$ 1,1 bilhão apurado em 2017. Além da baixa relacionada à aviação executiva, pesou negativamente a revisão da base de custos do KC-390 ocorrida no segundo trimestre. Logo, a Embraer encerrou 2018 com prejuízo líquido de R$ 669 milhões, contra lucro de R$ 902,4 milhões em 2017. A receita, na comparação anual, ficou estável em R$ 18,7 bilhões. O Ebitda em 2018 foi de R$ 1 bilhão, menos da metade do Ebitda de R$ 2,1 bilhões de 2017. No 4T18, o Ebitda recuou 65,2%, para R$ 171,3 milhões. Em termos ajustados (excluindo itens especiais, como os relacionados à baixa contábil) o Ebitda foi de R$ 409,5 milhões. Na carteira de pedidos firmes a entregar (backlog), a Embraer fechou o 4T18 em US$ 16,3 bilhões, recuperando-se da trajetória de queda, trimestre a trimestre, no correr de 2018, visto que no 1T18 era de US$ 19,5 bilhões, no 2T18 US$ 17,4 bilhões, 3T18 US$ 13,6 bilhões e avançado para os citados US$ 16,3 bilhões.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.