Macroestratégia Semanal

12 de março de 2018 - 17h00
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

Uma semana carregada de indicadores nos EUA e mais amena por aqui, com destaque apenas para as vendas do varejo, a PMS e alguns índices de inflação. Retornando aos EUA, continua repercutindo a decisão de Donald Trump de sobretaxar o aço e o alumínio na importação de diversos parceiros comerciais. No Brasil as expectativas se voltam para as movimentações políticas dos supostos candidatos e a decisão do Copom, dia 21, de possivelmente reduzir a taxa Selic a 6,5%.

Repercutiu a declaração do ministro da Fazenda de que o BACEN pode cortar novamente a Selic na reunião do Copom do dia 21. Realmente. A maioria no mercado (segundo o Broadcast, 33 de 36 casas ouvidas) acredita que o Copom deve cortar a taxa Selic de 6,75% para 6,50%. Dúvidas surgem, no entanto, sobre os próximos passos. Haveria espaço para um novo corte na reunião de maio? A inflação mais baixa, com o IPCA a 2,8% em 12 meses, e a economia retomando, mas lentamente, tendem a justificar este movimento.

Mesmo assim, na Focus desta semana chamou atenção a correção da taxa Selic, recuando a 6,5% neste ano e mantida em 8% em 2019 na visão do mercado, mas para o Top 5, mantida em 6,75% neste ano e passando de 8% para 9% no ano que vem. Num cenário turvo como o atual, dada a eleição presidencial indefinida, talvez este posicionamento mais cauteloso de parte do mercado se justifique.

Nos EUA, Trump oficializou o decreto de elevar as tarifas de alumínio e do aço, deixando de fora, até novas negociações, o México e o Canadá. Novos acordos bilaterais serão “costurados” para a superação destes impasses. O que se tem neste momento é a possibilidade dos países mais afetados virem com represália, taxando também os produtos americanos.

Falando da agenda da semana, predominam dados americanos, com destaque para o CPI e o PPI de fevereiro, assim como uma série de indicadores de produção do Fed de NY, da Filadélfia, norte-americano como um todo, assim como a capacidade instalada. No Brasil estejamos atentos aos indicadores das vendas do varejo (PMC) e dos Serviços (PMS), assim como alguns índices de inflação.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.