Panorama Eleitoral: Alianças para outubro

12 de junho de 2018 - 17h00
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

Ingressamos numa fase em que os “conchavos” se intensificam para a formação de alianças e possíveis “chapas entre os candidatos”. Nas alianças, o importante será se aproximar de partidos maiores com maior “tempo de televisão”, algo essencial para a campanha que se inicia “oficialmente” em agosto. Não que o marketing em rede social não tenha sua força, mas existem aqueles eleitores que se decidem a partir da propaganda em rádio e TV. Façamos então um balanço, mesmo que parcial, entre os candidatos até aqui definidos.

Jair Bolsonaro (PSL). Consideramos sua dificuldade de obter novos apoios e o teto de intenção de votos, em torno de 20%. Tem 9 segundos de TV, mas obtendo apoio do PR, pode chegar a 54 segundos.

Candidatura PT. Parece que Gleise Hoffman e seus aliados continuam acreditando numa reversão do quadro, com o presidiário Lula “ressurgindo” como candidato, hipótese pouco provável. Fernando Haddad segue de sobreaviso, sendo que numa pesquisa da semana passada chegou à frente do candidato do PSDB Geraldo Alckmin, em torno de 8% contra 7%. Não descartamos uma chapa Haddad-Josué Gomes, filho de José Alencar. Tempo de TV do PT não passa de 1 minuto e 40 segundos, mas pode chegar a 3 minutos e 22 segundos, com algumas alianças.

Ciro Gomes (PDT). Tenta se aproximar do PSB, mas também do DEM e do PP, já que Rodrigo Maia parece ter desistido da candidatura. Os “namoros” seguem intensos também sobre a possibilidade de uma frente partidária de esquerda. Não descartemos, por outro lado, uma união, mesmo que informal, com o PT e até com o Centrão. Tudo dependerá das próximas pesquisas. Dependendo das composições, seu tempo de TV pode chegar a ter 3 minutos.

Marina Silva (Rede). Um dos obstáculos de Marina é a sua frágil estrutura partidária, com o tempo de TV limitado a 8 segundos. Pode buscar uma “plumagem tucana” para ganhar fôlego ou mesmo se tornar vice com um candidato outsider mais parrudo.

Geraldo Alckmin (PSDB). Sua candidatura segue empacada nos 7% a 8% de intenção de voto. Com o Centrão, tem 5 minutos de tempo de TV. Sem eles e apenas com os já existentes no apoio oficial, cai para 2 minutos e 53 segundos. Caso tenha o MDB seu apoio vai a 4 minutos e no extremo, com um “chapão”, chega a 6 minutos e 26 segundos.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.