Randon: África compensa demanda da América do Sul no 2T19

14 de agosto de 2019 - 14h30
Segmento: Empresas
Fonte: Lopes Filho

A Randon divulgou o resultado do segundo trimestre e apresentou um aumento de 30% em sua capacidade de produção na comparação com o mesmo período do ano passado. Com isso, houve crescimento de 44,8% na venda de emplacamentos de semirreboques para o mercado local. “Com os fortes volumes de venda apresentados e a sólida sinalização de carteira de pedidos para o próximo trimestre, mantemos nossa expectativa de que Randon cumprirá o guidance de R$ 5 bilhões de receita líquida para 2019”, disse Flávia Ozawa, analista da Eleven Financial.

Para o mercado externo, as vendas expandiram 5,6%, devido à retomada das exportações para o mercado africano, que compensou a menor demanda na América do Sul, já que o mercado argentino segue pressionando as exportações, principalmente de autopeças.

Também os maiores volumes de produção diluíram os custos fixos, o que, aliados às trocas de fornecedores e à substituição de matérias primas, minimizou o impacto inflacionário sobre os insumos.

No segmento de autopeças, a Randon foi beneficiada pelo aumento de 21,8% na produção brasileira de caminhões.

Já no segmento de ferroviários o ano segue desafiador com queda abrupta na venda de vagões: apenas uma unidade foi comercializada no trimestre. “O fraco desempenho do segmento provoca efeito irrisório no resultado. Além disso, vemos como positiva a perspectiva para o segmento, com as promessas de maiores investimentos no setor ferroviário por parte do governo. Caso a renovação antecipada das concessões ferroviárias aconteça sem novas postergações, a sinalização da retomada da prospecção para compras deverá se concretizar em pedidos a partir de 2020”, afirmou a analista.

Enquanto isso, a subsidiária Fras-Le apresentou retração no volume de materiais de fricção vendidos, devido à maior concorrência no mercado de pastilhas para veículos leves. A reestruturação dela também impactou negativamente o resultado da Randon em R$ 5,9 milhões.

Com isso, o endividamento financeiro líquido permaneceu estável em R$ 1,2 bilhão. Mas, com a captação da sétima emissão de debêntures, liquidada em abril em um total de R$ 400 milhões, houve alongamento da dívida e redução do custo médio ponderado. “A Randon apresenta disponibilidades suficientes para cobrir a totalidade da amortização até o final de 2021”, analisou Ozawa.

No trimestre, a geração de caixa bruta totalizou R$ 203,7 milhões, aumento de 61,3%.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.