Reforma da Previdência

06 de dezembro de 2017 - 17h00
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

Continuamos atentos ao desenrolar das negociações para a votação da Reforma da Previdência. Existe a chance de muitos partidos “fecharem questão”. Ou seja, as bancadas votarem unidas em torno da aprovação da reforma, com todos os deputados votando juntos. Quem discordar, votar contra, acabaria punido até com a expulsão do partido.

Pesquisas preliminares indicam o governo possuir 252 votos com 150 indecisos. Ainda faltariam 56 votos para a aprovação. O governo gostaria, no entanto, de ter uma margem de segurança, uma garantia de 330 votos.

Até o fim desta semana, estes números ainda devem mudar, mas o governo busca garantias para evitar entrar na votação derrotado. Os deputados devem votar em bloco, meio que em “efeito manada”, evitando serem identificados como contra ou a favor. Como “moeda de troca” exigem do governo a aprovação ainda neste ano do Fundo Eleitoral, orçado em algo próximo a R$ 1,7 bilhão.

No jogo político, de 35 partidos, alguns têm peso considerável, como o PSDB. Os tucanos, por exemplo, são decisivos, por possuírem 46 deputados. Geraldo Alckmin, em convenção nacional neste final de semana, deve ser confirmado como presidente do partido e seu objetivo é unir as bases e tentar apoiar o governo na agenda de reformas. Em troca, espera-se o apoio do PMDB nas eleições de 2018, ganhando-se em capilaridade e tempo de TV. Outros partidos também se mobilizam. O PP e o PRB, juntos possuem 68 votos e parecem, podem “fechar questão”. Já no bloco do PTB, PROS, PSL e PRP, com 26 votos, também parece haver consenso pelo apoio.

Vamos acompanhando...

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.