Romi: Cash is king

13 de fevereiro de 2020 - 15h00
Segmento: Empresas
Fonte: Lopes Filho

A Romi divulgou seu resultado do quarto trimestre do ano passado e reportou uma receita de R$ 230,4 milhões, recuo de 6,6% em relação ao mesmo período de 2018. A queda teve como principal fator a unidade B+W ao longo de 2019. Na comparação anual, seu desempenho foi positivo, com crescimento de 7,7% na ROL, desconsiderados os efeitos cambiais, e sinalização de operação em capacidade total. No entanto, chama a atenção o menor nível de entrada de pedidos no segundo semestre, com retração de 52,1%, reflexo da desaceleração da economia global. Apesar dessas preocupações, acreditamos que, nos próximos trimestres, a B+W deverá ter desempenho operacional positivo. Já na unidade Máquinas Romi, a melhora deverá acontecer a partir dos investimentos na recuperação do parque fabril local. Por fim, a unidade de Fundidos e Usinados segue penalizando a empresa. No entanto, projetos de geração de energia eólica, maiores demandantes por peças de grande porte, é positiva para o ciclo à frente.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.