São Martinho: colheita Atrasada

13 de agosto de 2019 - 10h59
Segmento: Empresas
Fonte: Lopes Filho

O resultado do 1T120 a São Martinho veio abaixo das nossas expectativas devido, principalmente, ao atraso inicial da colheita devido as chuvas mais intensas. Ainda assim, a companhia manteve sua expectativa de produção de 22 mt de cana para a safra de 2019/2020, com crescimento de 5% em volume equivalente de ATR. No 1T20, a São Martinho produziu 9,0 milhões de toneladas de cana-de-açúcar (- 4,9% a/a), dado o início de safra com chuvas mais intensas em comparação ao clima seco observado na safra 18/19. Por outro lado – a chuva contribuiu para uma produtividade média do período de 89,1 tons/hectare, (+ 11,9% a/a), em relação ao 1T19 – ainda que algum impacto no ATR no início da safra. Diante dos preços do açúcar ainda em patamares baixos e rentabilidade do etanol atrativa, a São Martinho seguiu a tendência da indústria e priorizou a produção do açúcar em relação ao adoçante. Assim, a companhia reduziu sua exposição aos preços de açúcar, com hedge de 555 mil toneladas de açúcar para os próximos trimestres da safra 19/20, representando, aproximadamente, 78% da cana própria (considerando o mínimo do range para produção de açúcar, conforme o Guidance da safra), ao preço médio de ~R$ 1.186/tonelada. O aumento do custo caixa alinhado a uma queda de preços contribuiu para uma queda de 18 pp. na margem de comercialização do açúcar e elação ao 1T19. Para o etanol, o custo caixa na safra aumentou 12,3% em relação à safra anterior, com a margem reduzindo cerca de 4 pp., dado que o preço de etanol cresceu 6,7% em relação ao 1T19. Pelos mesmos motivos, o EBITDA ajustado no 1T20 totalizou R$ 348,4 milhões (margem EBITDA ajustada de 46,1%), uma redução de 13,1% em relação ao 1T19.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.