Termômetro do Mercado: Pré-feriado de carnaval: auge e cautela

21 de fevereiro de 2020 - 11h20
Segmento: Mercados
Fonte: Lopes Filho

O tom é de cautela no exterior em meio a crescentes preocupações com o alastramento da epidemia de coronavírus, o que leva as principais bolsas mundiais a operar em terreno negativo. Por aqui, apesar do auge da temporada de balanços sustentar os negócios, os investidores tendem a manter os olhos voltados para o mercado internacional no pré-feriado de carnaval. Hoje, merecem atenção especial as ações de Vale, Lojas Americanas, B2W e Carrefour, que devem repercutir a divulgação dos resultados do quarto trimestre.

A B2W reduziu em 68% o prejuízo no quarto trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, chegando a perdas de R$ 22,3 milhões. No ano passado, o prejuízo diminuiu 3,3% para R$ 391,6 milhões. A B2W divulgou um resultado trimestral positivo e em linha com nossos números. O resultado de 2019 marcou o encerramento de um ciclo de três anos para B2W, cuja evolução expressiva no crescimento do ecossistema de negócios pode ser percebida por meio da valorização de suas ações. Leia mais no relatório publicado na noite passada.

Lojas Americanas, por sua vez, registrou lucro líquido consolidado ajustado de R$ 398 milhões no quarto trimestre de 2019, alta de 62,1% sobre um ano antes. Em 2019, o lucro líquido da Lojas Americanas foi de R$ 704 milhões, acréscimo de 130,4% sobre 2018.

Entre as blue chips, a Vale registrou prejuízo US$ 1,683 bilhão, no ano passado, principalmente, em função da tragédia de Brumadinho (MG). Em 2018, a mineradora havia acumulado lucro líquido de US$ 6,860 bilhões. Somente no quarto trimestre de 2019 teve prejuízo líquido de US$ 1,562 bilhão, revertendo o lucro de US$ 3,786 bilhões um ano antes.

Conforme divulgado recentemente no relatório de produção e vendas, o volume de vendas de pelota se manteve estável no 4T19, enquanto as vendas de minério de ferro apresentaram, novamente, volume robusto, totalizando 77,3 mil toneladas, ante 73,6 mil toneladas no 3T19. Esse aumento no volume compensou parcialmente a queda no preço da commodity. No consolidado, a receita líquida totalizou US$ 9,964 bilhões, em linha com nossa expectativa.

Já esperávamos um lucro líquido negativo, reflexo, principalmente, dos impairments anunciados. Considerando que não possui efeito caixa e que o pagamento de dividendos da Vale se encontra suspenso, vemos o resultado como neutro. A surpresa ficou para o valor do impairment anunciado, no montante de US$ 4,2 bilhões, enquanto prevíamos US$ 3,2 bilhões. Essa notícia pode repercutir nas mesas de operações hoje.

Mercado de câmbio

O dólar continua em foco diante do clima adverso no exterior e pelo persistente desconforto dos investidores com o quadro local. Internamente, a expectativa é de um ritmo comprador, especialmente pela perspectiva do fechamento dos mercados no Brasil na segunda e terça-feira por causa do carnaval, com reabertura apenas na Quarta-feira de Cinzas, às 13 horas.

De todo modo, existe espaço para realização de ganhos, mesmo que seja pontual. Com valorização acumulada de 9,46%, o dólar à vista fechou ontem a R$ 4,3912, em nova máxima histórica do Plano Real, chegando a nove dias de altas seguidas. O ajuste acompanhou o dólar forte ante suas rivais e outras divisas emergentes no exterior.

A Novinvest Corretora de Valores Mobiliários Ltda. não se responsabiliza pelo conteúdo, notícias, opiniões, informações, indicações, dentre outros de nossos parceiros e/ou referências.